Sespa reúne profissionais da Atenção Domiciliar no Pará

Sespa reúne profissionais da Atenção Domiciliar no Pará


Envie um link

" Apresentação das atividades já executadas pelos municípios que aderiram ao programa, como Tucumã. A intenção é mostrar que uma das finalidades do programa é reduzir o tempo de internação hospitalar de pacientes. "


Notícias, publicado em 26/04/2018

A diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde (DPAIS) da Sespa, Socorro Bandeira recomendou que os participantes aproveitassem o conteúdo absorvido, uma vez que as discussões abrangem aspectos que já norteiam o funcionamento da rede pública de saúde.

Com Informações de Mozart Lira/ Fotos José Pantoja/ Agência Pará

Mais de 50 profissionais de saúde que atuam em serviços de atenção domiciliar em 20 municípios paraenses estão reunidos até esta quinta-feira (26), em Belém, para o II Encontro Estadual do Programa Melhor em Casa, criado pelo governo federal, orientado pela Coordenação Estadual de Atenção Domiciliar da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e executado pelas prefeituras, para atender pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos ou que estejam em situação pós-cirúrgica.

"A proposta é sensibilizar a implantação em outros municípios e ao mesmo tempo promover uma troca de experiências entre os profissionais que já atuam no cotidiano do programa", comenta o psicólogo Guilherme Moura, coordenador estadual de Atenção Domiliciar da Sespa, setor responsável pela articulação do Melhor em Casa no Pará.

Durante a abertura do seminário, a diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde (DPAIS) da Sespa, Socorro Bandeira  recomendou que os participantes aproveitassem o máximo do conteúdo absorvido, uma vez que as discussões abrangem aspectos que já norteiam o funcionamento da rede pública de saúde, visto que o programa ajuda a amenizar a demanda nos hospitais devido à redução da procura por parte de doentes crônicos, que apresentam menos intercorrências ou agravamento de seus quadros clínicos por conta do monitoramento de equipes do Melhor em Casa.

O encontro ainda conta com outra facilitadora: a psicóloga Sílvia Reis, integrante da Coordenação Geral de Atenção Domiciliar, vinculada ao Ministério da Saúde, que apresentou um parâmetro do programa em todo o país e, ao longo das apresentações, responde dúvidas dos profissionais participantes e orienta quando for necessário.

Os dois dias de atividade contam ainda com a apresentação das atividades já executadas pelos municípios que aderiram ao programa, como Altamira, Ananindeua, Belém, Benevides, Capanema, Castanhal, Conceição do Araguaia, Goianésia do Pará, Igarapé Açú, Jacundá, Ourilândia do Norte, Parauapebas, Redenção, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Tailândia, Tucumã, Tucuruí, Ulianópolis e Xinguara. A intenção é mostrar que uma das finalidades do programa é reduzir o tempo de internação hospitalar de pacientes que estejam com o quadro estabilizado, sem agravamento, mas ainda necessitando de cuidados sistemáticos, como curativos, trocas de sonda, medicação, fisioterapia respiratória, entre outros procedimentos terapêuticos ou profiláticos, que podem ser realizados em casa.

Pela redefinição do programa, oficializada pela portaria GM/MS nº 963, de 27 de maio de 2013, todos os municípios brasileiros poderão solicitar implantação do “Melhor Em Casa”. Essa adesão poderá ser realizada, inclusive, por municípios de pequeno porte de forma agrupada, a fim de alcançar um somatório de 20 mil habitantes ou de forma isolada, para aqueles municípios acima de 20 mil.

Mais detalhes sobre o programa podem ser encontrados no link: http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/melhor-em-casa-servico-de-atencao-domiciliar/melhor-em-casa